quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Sete pecados que só os outros têm


Quero apresentar sete falhas que enxergamos nos irmãos, e que nós "não" temos de jeito nenhum. Eu tinha começado a escrever o post, depois desisti por falta de tempo. Mas aí, lembrei-me da forma bem humorada de alguns pastores assembleanos dizerem assim: "Aí fora tem dessas coisas, mas em nosso meio, não! acontece de jeito nenhum! e assim animei-me a voltar a escrever.

Soberba. Este é um pecado que nunca temos. Só os outros. Somos humildes e mansos de carteirinha, desde o berço. Quando nos olhamos no espelho vemos a humildade em pessoa. Imagina... nós nunca tratamos os outros com desprezo, sempre falamos com voz mansa, educada. Nossas coisas nunca são melhores que as do vizinho, do outro colega do ministério... Quando recebemos críticas construtivas, nossos interlocutores estão sempre certos, e nós vamos para nossas casas dispostos a melhorar e agradar. Soberba? isso "nunca" passou pelo nosso coração, só existe por aí.

Egoísmo. Outro pecado que só aparece muito no caráter dos outros. Nós não somos assim. As coisas que temos, nós dividimos; nós nunca temos mais de cinco pares de sapatos em casa; nosso guarda roupas não tem coisas de dez, 20 anos atrás; quando vamos para a Igreja de carro, nós nunca vamos sozinhos, sempre levamos o irmão Joãozinho para que ele não precise ir a pé. Quando vamos à Ceia, sempre lembramos da campanha do quilo; quando tem uma pirâmide de louças na pia, e nós sujamos mais uma, nós costumamos lavar pelo menos umas duas, para contribuir com o serviço da mamãe... Quando chegamos em casa, nós nunca deixamos os sapatos no meio da sala, para outros apanharem para nós; quando recebemos nosso salário, e moramos com nossos pais, sempre entregamos uma parte dele para a mamãe. Roupas sujas? nós nunca deixamos que nossa irmã ou a mamãe as lave o ano inteiro para nós... Egoístas? de jeito nenhum. Aí fora tem muito disso, mas lá em casa, eu sou a pessoa mais "solidária" que existe!

Hipocrisia. Hipócritas? de jeito nenhum! Somos crentes por dentro e por fora. Na presença do pastor e longe dele. Tudo o que pregamos no púlpito, praticamos igualzinho em nossas casas. Se tirarem um retrato de nossa alma, vai ver que ela está mais branquinha que camiseta lavada com aquele famoso sabão em pó. Mas o resto... é tudo hipócrita! Nosso namoro? é 100% santo, não tem mentira, não tem fornicação, não tem engano. Nossa vida? é um livro aberto, do jeito que somos escondido de nosso lar, somos diante de todos. Mas os outros crentes de nossa igreja...hum... são todos uns falsos.

Profanação. Nós não somos profanos. De jeito nenhum. Quando voltamos do culto para casa, nós nunca "descemos" a lenha no que vimos e ouvimos por lá. Os cantores sempre cantaram bem, o coral sempre cantou hinos novos, o pastor não repetiu os temas. Diante de nossos filhos nós sempre exaltamos as virtudes de nossos irmãos de igreja, o que eles fazem não tem defeitos. Nossos filhos nunca se aborrecem com as lideranças de nossas igrejas, pois diante deles nunca martelamos suas apresentações na hora do culto. Os filhos dos outros estão aborrecidos e nem querem mais ir na Igreja, mas os nossos não.

Em nossa Igreja, nós nunca misturamos política com culto de Santa Ceia. Aí fora, em tempo de eleição, tem muitos crentes que ficam distribuindo "santinhos" de políticos na porta das Igrejas, mas nem nós não fazemos isso, pois respeitamos a lei eleitoral e não queremos escandalizar nossos visitantes.

Mentira. Nós nunca falamos mentira. Nem mentirinha nem mentirona. Diante do confronto, de assumir responsabilidades, quem fez a coisa errada foi outro. Nós, nunca! Em nosso coração nós detestamos a mentira, mas aí fora, misericórdia! é costume.

Falta de Solidariedade. Em um país que tem uma desigualdade social pior que a do Haiti, a carapuça da omissão e da indiferença nunca vestiu nossas cabeças. Não existe analfabeto em nossa Igreja. As famílias de pouca renda de nossa Igreja não têm ficado assim, por mais de uma geração. Nós nos preocupados em prover a eliminação dessas desigualdades. Temos ajudado aquelas crianças e adolescentes a procurar por uma boa educação para que a miséria não continue instalada por gerações e gerações nas mesmas famílias. Nossa Igreja não partidária do "É dando que se recebe" Nós entregando, e ela só recebendo! Ela não é apenas como uma sanguessuga que retira dos pobres, ao longo de décadas e nunca lhes retorna nada. Aí fora tem muitas "casas do tesouro" mas em nosso meio, nós abrimos congregações nas periferias para ajudar na distribuição de renda, usar de solidariedade com desassistidos, NUNCA, com o intuito de retirar de lá o fundo do bolso que ainda têm! Tem muitas igrejas que fazem isto, mas na nossa isso nunca acontece!

Mesquinhez. Nós somos generosos. Em nossa despensa nunca perde alimentos. Quando vamos ao Culto sempre levamos alguma coisa para ofertar ao Senhor. Nós não somos como muitos que tem por aí, que nunca aprenderam a comparecer diante do Senhor com as mãos vazias. Sempre levamos umas moedas extras no bolso para distribuir para quem precisa. Sabemos que muita gente perde bênção milionária por causa de uma simples moedinha, mas nós sempre usamos de liberalidade. Quando compramos coisas gostosas e levamos para casa, nós nunca escondemos para que fique tudo para a "gente". Quando damos alguma coisa, damos voluntariamente. Tem muita gente por aí que dá com uma mão esperando cobrar mais à frente com outra, mas nós não somos assim. Quando sabemos de alguma coisa boa, que trará felicidade e bênção para alguma pessoa próxima, nós sempre vamos lá e falamos. Quando sabemos que está faltando alguma coisa na casa de "A" ou de "B", nós nunca esperamos pela semana que vem ou no mês seguinte. Por aí eu sei que tem gente assim, mas não em nosso meio.


Que Deus nos guarde!

Nenhum comentário :